What is your language?

Bornes relacionados com Miniaturas

Buscando...?

terça-feira, 23 de junho de 2009

Sessão da Tarde

Ter escrito algo sobre repetição num texto atrás me lembrou de uma coisa...
Há um tempo, quase meses eu acho, estava com amigos conversando e falamos sobre TV, DVD e por aí. Numa certa altura, alguém comentou sobre o hábito de assistir várias vezes um mesmo filme. Várias mesmo! Havia, na ocasião, dois na mesa que declararam o hábito: um próprio, o outro, do irmão. Eu achei curioso. Me pareceu meio absurdo e acreditei que fosse algo incomum. O irmão, por exemplo, segundo o meu amigo, assiste a trilogia Matrix! E eu não errei o tempo verbal! Ele assiste a trilogia Matrix, entre outros títulos, quase que regularmente!
Eu fiquei impressionado com aquilo. Me impressiono fácil com as coisas, pode ser...
Num outro dia, com alguns mesmos amigos e mais outros, novamente o assunto surgiu. E eu fiquei mais espantado porque o hábito se revelou não tão incomum assim. Na mesma mesa já surgiram quatro, pelo que me lembro, que o tinham! Aí eu comecei, como desagradavelmente para alguns eu às vezes faço, a questionar para querer entender aquele fenômeno: "mas como assim?", "quantas vezes?" e tal até que cheguei no "por quê" ou no "qual é a graça". Foi quando entre as não-respostas e desconversas um dos caras me disse: "Depois da quarta vez, você começa a perceber os erros nos filmes..." Essa era uma das 'graças' para ele.
Essa eu achei interessante.
Tendo assistido, até aquela data "O Gladiador" nove vezes eu acho (bom, por três eu já o condenaria!), ele me garantiu que há uma cena em que passa um avião ao fundo.
Imagine só: você lá, imerso na história e vê o aviãozinho que passa lentamente a revelar a ilusão!
Divertido!
Não foi difícil pensar a coisa em termos de prática do Dhamma.
Encontrar aquela mesma graça me parece ser um nosso desafio!
Veja, alguns assistem várias vezes as mesmas histórias e se empolgam, curtem e se deleitam com aquilo. Um outro, não sei se único mas o que declarou, descobriu um motivo "superior".
Na nossa vida, as repetições são objeto de observação. Descobrirmos os "erros" que revelam o "sonho" não seria mais divertido do que seguirmos continuamente empolgados numa eterna Sessão da Tarde?
Postar um comentário

Speech by ReadSpeaker